18 de junho de 2013

O MAR


O Mar em seu gracioso bailar,
Conta-me os segredos,
Aconchega-me os medos,
Do meu fantasmar!
O Mar imponente e belo
Esconde-se nos rochedos
Para que eu não o veja chorar!
Depois vem de mansinho
Tecer meu corpo de linho
Num qualquer antigo tear
Debroa minh’alma de ouro
Como se trata-se um tesouro
E canta-me uma canção d'embalar,
Num espaço lilás...sinto-me...
Contente... afogar!!!


Dinah Raphaellus (Portugal)

2 comentários:

António Eduardo Lico disse...

Bela poesia.

Por que você faz poema? disse...

O mar...
quais histórias me conta?