7 de setembro de 2007

O VENDEDOR DE PASSADOS - AGUALUSA


Publicações Dom Quixote, Lisboa, Portugal. - 2004
Romance. - 231 p. ISBN 972-20-2667-4.


Vencedor do Independent Foreign Fiction Prize 2007 (Inglaterra)

Félix Ventura escolheu um estranho ofício: vende passados falsos. Os seus clientes, prósperos empresários, políticos, generais, enfim, a emergente burguesia angolana, têm o futuro assegurado. Falta-lhes, porém, um bom passado. Félix fabrica-lhes uma genealogia de luxo, memórias felizes, consegue-lhes os retratos dos ancestrais ilustres. A vida corre-lhe bem. Uma noite entra-lhe em casa, em Luanda, um misterioso estrangeiro à procura de uma identidade angolana. E então, numa vertigem, o passado irrompe pelo presente e o impossível começa a acontecer. Sátira feroz, mas divertida e bem humorada, à actual sociedade angolana, O Vendedor de Passados é também (ou principalmente) uma reflexão sobre a construção da memória e os seus equívocos.

Revista de Imprensa


O que aqui temos (lemos) é um belo livro, despojado de intencionalidades dirigidas, demonstrando a eficácia de uma tal opção. Encontrar uma boa metáfora para dizer a vida é uma felicidade; envolvê-la com uma narrativa límpida e despretensiosa, uma alegria; suspender até ao limite do narrado um desfecho, uma glória. Entregá-lo assim feito, a um público leitor, uma simpatia.
Dórias Graça Dias, Expresso, Actual


O último livro de José Eduardo Agualusa é um retrato irónico da sociedade angolana, é sobre "o que é a verdade e o que é a mentira", como explica o autor, é sobre a memória, essa entidade mutável, e literatura, também numa homenagem a Jorge Luís Borges. Mas, mais importante que a história ou as histórias que contém, o livro está cheio desses momentos que nos fazem levantar os olhos das páginas antes de continuar. São essas as ideias que ficam retidas no leitor.
Susana Moreira Marques, Público, Mil Folhas


À pimeira vista até parece um romance policial, escrito em tom bem tropical, deliciosamente recheado de expressões recuperadas de um português lusófono. Depois, à medida que vamos lendo, percebemos que é muito mais. É uma confissão sarcástica sobre a Angola actual e os “esquemas” de vida que por lá se fazem; é um diário que pincela memórias soltas e outros tantos esquecimentos propositados. Tudo, um puzzle que se vai encaixando e amarrando o leitor.(...) O Vendedor de Passados é de uma simplicidade desconcertante, levando-nos a recordar – de memória – situações por que já passámos ( ou será que não?)
Luísa Jeremias, Leituras à sombra


Further editions
2004 - O Vendedor de Passados. - Gryphus, Rio de Janeiro, Brazil. ISBN 85-7510-092-0.

Translations
2006 - Le marchand de passés. - Métailié, Paris, France. ISBN 2-86424-567-1.

2006 - The Book of Chameleons. - Arcadia Books, London, UK. ISBN 1-905147-15-5.

OBRAS:

Romance:
1989 - A Conjura
1996 - Estação das Chuvas
1997 - Nação Crioula
2000 - Um Estranho em Goa
2002 - O Ano em que Zumbi Tomou o Rio
2004 - O Vendedor de Passados
2007 - As Mulheres do Meu Pai

Novela:
1992 - A Feira dos Assombrados

Poesia:
1991 - Coração dos Bosques - Poesia 1980-1990

Contos:
1990 - D. Nicolau Água-Rosada e outras estórias verdadeiras e inverosímeis
1999 - Fronteiras Perdidas, contos para viajar
2000 - A Substância do Amor e Outras Crónicas
2000 - Estranhões e Bizarrocos
2002 - O Homem que Parecia um Domingo
2003 - Catálogo de Sombras
2005 - A Girafa que Comia Estrelas
2005 - Manual Prático de Levitação
2006 - Passageiros em Trânsito
2006 - O Filho do Vento

Um comentário:

xistosa disse...

Li, Nação Crioula e estas férias o Vendedor de Passados

Já tinha lido outro dele e as Poesias, que agora, ao procurar só lhe vi o sítio e a identificação de quem o tem.
Gosto da maneira como escreve!
Cumprimentos.
Quando quiser ler algo amis corrosivo, aconselho-o a passar no "UCOMETA", aí deixo a minha bílis funcionar.