11 de fevereiro de 2010

POEMA DE MOACY CIRNE


Não conheço Luanda
mas conheço a fibra
daqueles que a amam.

Não conheço Luanda
mas conheço a bravura
daqueles que a vivem.

Não conheço Luanda
mas conheço a lida
daqueles que a sonham.

Não conheço Luanda
mas conheço a garra
daqueles que a revivem.

Não conheço Luanda.
Mas conheço Luanda.

(Moacy Cirne, 2010) - Brasil

3 comentários:

Moacy Cirne disse...

Grato, meu caro.
Fiquei contente pela
reprodução do meu poema
em homenagem à capital
angolana.

Kandandu.

Decio Bettencourt Mateus disse...

Um kandandu Moacy. Quiça um dia vamos nos cruzar nas ruas de Luanda. Se não acontecer fisicamente, já aconteceu poeticamente.

cirandeira disse...

O que mais admiro em um poeta é essa capacidade, essa sensibilidade para transceder todos
os limites, todas as barreiras existentes em nosso universo racional, supostamente cognoscível.
Através deste poema de Moacy (belíssimo!)conseguimos sentir como é este país, este povo forte e corajoso!
Obrigada pelo post e PARABÉNS ao poeta!

Kandandu